Busca rápida
por título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 
Crítica, teoria literária e linguística  
1   2   3   4   5   6  

Tempo reencontrado
Ensaios sobre arte e literatura

Alexandre Eulalio
Organização de Carlos Augusto Calil

 
Organizado por Carlos Augusto Calil, Tempo reencontrado reúne dez ensaios de Alexandre Eulalio (1932-1988), este intérprete incomum que, nas palavras de Antonio Candido, foi capaz de aliar o conhecimento mais rigoroso da História e da Estética à livre fantasia criadora, sempre em busca de "chaves para compreender o tempo". No conjunto afiado e extremamente original, vale destacar os ensaios sobre Cornelio Penna, Henrique Alvim Corrêa e os três textos dedicados à leitura de Esaú e Jacó (1904), de Machado de Assis, em paralelo com a análise da tela de Aurelio de Figueiredo, O Último baile da Monarquia (1905), exemplos da mais fina inteligência crítica.
R$ 83,00
 
Armas de papel
Graciliano Ramos, as Memórias do cárcere e o Partido Comunista Brasileiro

Fabio Cesar Alves

Prefácio de Francisco Alambert
 
Em 1936, Graciliano Ramos foi preso pelo regime de Vargas por causa de seu suposto alinhamento com o PCB, experiência que o escritor elaboraria dez anos depois em Memórias do cárcere, livro que sobrepõe relato, documento e literatura.
Armas de papel, de Fábio Cesar Alves, professor da USP, realiza uma leitura ampla e profunda das Memórias, ao levar em conta a duplicidade de vozes e temporalidades que se instauram no discurso do autor: o da experiência e o da rememoração. E, ao fazê-lo, acaba por recensear boa parte da história política do Brasil no século XX e oferecer ao leitor um belo estudo sobre o papel do intelectual num país periférico.
R$ 83,00

 
Formação e desconstrução
Uma visita ao Museu da Ideologia Francesa

Paulo Eduardo Arantes

Posfácio de Giovanni Zanotti
 
Neste livro, o filósofo Paulo Arantes, um dos mais destacados intelectuais brasileiros da atualidade, guia o leitor pelos caminhos percorridos pela chamada Ideologia Francesa, conjunto prestigioso de ideias que reuniu pensadores como Foucault, Derrida e, na sua variante franco-brasileira, Gérard Lebrun. Sua hegemonia atingiu o ápice no final dos anos 1980, quando, dentro do sistema universitário americano, misturou-se à Teoria da Ação Comunicativa de Habermas e ao neopragmatismo de Richard Rorty. Para o autor, esse cruzamento de conceitos em que predomina a noção de discurso revela na verdade transformações históricas reais, como, por exemplo, o papel legitimador que involuntariamente essas ideias tiveram na atual fase do capitalismo.
R$ 83,00

     
A novela no início do Renascimento
Itália e França

Erich Auerbach

Tradução de Tercio Redondo
Coordenação editorial, revisão técnica e posfácio de Leopoldo Waizbort
Prefácio de Fritz Schalk
 
Publicado pela primeira vez em 1921, A novela no início do Renascimento marca a estreia de Erich Auerbach (1892-1957), autor de Mimesis, na crítica literária, abrindo caminho para uma obra em que está contemplado todo o arco da literatura ocidental. Privilegiando sobretudo o Decameron de Boccaccio (século XIV), após Dante “juntar novamente mundo e destino”, Auerbach explica o momento em que as narrativas medievais, vinculadas à Bíblia e ao sagrado, dão lugar a uma nova forma de literatura — mais aristocrática na Itália e mais burguesa na França —, mostrando homens e mulheres enredados nos acontecimentos, prazeres e dores do mundo terreno.
R$ 62,00
 
Dante como poeta do mundo terreno

Erich Auerbach

Tradução de Lenin Bicudo Bárbara
Coordenação editorial e revisão técnica de Leopoldo Waizbort
Posfácio de Patrícia Reis
 
O presente estudo, Dante como poeta do mundo terreno, de 1929, é uma síntese extraordinária da Divina comédia, uma das obras centrais da literatura ocidental. Erich Auerbach, autor de Mimesis, sustenta que não é possível compreendermos a Comédia sem a Summa Theologica de Tomás de Aquino, obra que sistematizou a doutrina dos primeiros Padres da Igreja, na qual a Verdade divina manifesta-se historicamente no mundo terreno. A grande proeza do poeta florentino, segundo Auerbach, foi justamente a de ser o primeiro autor a dar forma literária a essa concepção cristã. Completam o volume uma pequena autobiografia escrita por Auerbach em 1929, quando candidatou-se a professor em Marburg, e um alentado posfácio de Patrícia Reis, em que ela mapeia as correntes intelectuais alemãs da época e a recepção da obra de Dante em meio à ascensão do nazifascismo.
R$ 86,00

 
Ensaios de literatura ocidental
Filologia e crítica

Erich Auerbach

 
Reunião de quinze estudos, quase todos inéditos em português, de um dos grandes nomes da crítica literária do século XX, este livro trata dos principais temas a que Auerbach se dedicou: a ideia cristã de "estilo humilde", as obras de Dante e Vico, a literatura francesa, e as perspectivas dos estudos literários e do humanismo no contexto de uma cultura globalizada.
R$ 91,00

     
Notas sobre literatura, cultura e ciências humanas

Mikhail Bakhtin

Tradução de Paulo Bezerra
Organização, tradução, posfácio e notas de
Paulo Bezerra
Notas da edição russa de Serguei Botcharov
 
Este livro reúne três textos de Mikhail Bakhtin (1895-1975): "A ciência da literatura hoje" (1970), "Fragmentos dos anos 1970-1971" (extraídos de seus cadernos de anotações) e "Por uma metodologia das ciências humanas" (1975) - todos eles traduzidos diretamente do russo por Paulo Bezerra, que também assina o posfácio ao volume. Escritos no fim da vida, os textos compõem um verdadeiro "testamento teórico" de Bakhtin, que retoma neles os principais temas de sua obra e aponta os caminhos para um desenvolvimento posterior de suas ideias.
R$ 53,00
 
O autor e a personagem na atividade estética

Mikhail Bakhtin

Tradução de Paulo Bezerra
Notas da edição russa de Serguei Botcharov
 
Considerado um ensaio seminal na carreira de Mikhail Bakhtin, O autor e a personagem na atividade estética foi redigido na primeira metade dos anos 1920 e integra seus escritos ditos “filosóficos”, trazendo pela primeira vez vários conceitos que serão fundamentais em suas obras posteriores sobre a linguagem, o discurso e o romance. A tradução de Paulo Bezerra, publicada originalmente na coletânea Estética da criação verbal, foi aqui inteiramente revista, além de acrescida de um posfácio do tradutor e de um texto inédito de Bakhtin em português: uma “Introdução” ao livro, com cerca de 30 páginas, descoberta pelos organizadores das Obras reunidas do autor na Rússia.
R$ 83,00

 
Os gêneros do discurso

Mikhail Bakhtin

Tradução de Paulo Bezerra
Notas da edição russa de Serguei Botcharov
 
Este livro contém dois ensaios fundamentais de Mikhail Bakhtin (1895-1975), indispensáveis para a compreensão de sua abordagem dialógica quanto ao texto e à linguagem viva: "Os gêneros do discurso" e "O texto na linguística, na filologia e em outras ciências humanas". O volume inclui ainda outros dois textos do autor, inéditos no Brasil, intitulados "Diálogos", que não apenas serviram de base para a escrita de "Os gêneros do discurso", como também esboçam novas ideias de Bakhtin sobre a natureza da língua.
R$ 65,00

     
Problemas da obra de Dostoiévski

Mikhail Bakhtin

Notas e glossário de Sheila Grillo e Ekaterina Vólkova Américo
Ensaio introdutório e posfácio de Sheila Grillo
 
Problemas da obra de Dostoiévski, lançado em 1929, é a primeira versão de um dos livros-chave de Bakhtin, Problemas da poética de Dostoiévski, de 1963. Organizado em duas partes, “O romance polifônico de Dostoiévski” e “A palavra em Dostoiévski”, o estudo analisa as principais obras do escritor russo, atentando para a multiplicidade de vozes e discursos que ele põe em cena, o que representou uma importante inovação na forma do romance. O presente volume inclui ainda um ensaio introdutório que historia a gênese do livro de Bakhtin e suas influências, e um posfácio que analisa a sua recepção na União Soviética da época, ambos redigidos por Sheila Grillo, tradutora da obra com Ekaterina Vólkova Américo.
R$ 91,00
 
Questões de estilística no ensino da língua

Mikhail Bakhtin

Apresentação de Beth Brait
Organização e notas da edição russa de Serguei Botcharov e Liudmila Gogotichvíli
 
Único na obra deste grande teórico da língua e da literatura, o presente ensaio é produto da experiência de Bakhtin como professor em duas escolas no interior da Rússia entre 1937 e 1945. Como exemplo de sua prática na sala de aula, o autor aborda no texto o uso de uma estrutura gramatical em particular - o período composto por subordinação sem conjunção -, e desenvolve um método de ensino voltado ao "processo de nascimento da individualidade linguística" dos alunos.
R$ 56,00

 
Teoria do romance I
A estilística

Mikhail Bakhtin

Tradução de Paulo Bezerra
Organização da edição russa de Serguei Botcharov e Vadim Kójinov
Prefácio, notas e glossário de Paulo Bezerra
 
Peça-chave na teoria de Bakhtin, a Teoria do romance foi desenvolvida nos anos 1930, mas só foi publicada, e de forma parcial, no ano da morte do autor, em 1975, no volume Questões de literatura e estética. Apenas em 2012 o texto integral veio à luz, na Rússia, no conjunto de suas obras completas. Este volume tem como tema O discurso no romance, e traz as reflexões de Bakhtin sobre a especificidade desse gênero literário; nele, o autor questiona a estilística tradicional e desenvolve o conceito de heterodiscurso, destacando as múltiplas vozes que ressoam na prosa romanesca. Ao considerar a linguagem como um fenômeno vivo e plural, o teórico russo revolucionou nossa forma de ler e interpretar o romance.
R$ 75,00

     
1   2   3   4   5   6  

© Editora 34 Ltda. 2024   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779